Imagem

O Tempo Canário e o Mário ao contrário

Uma noção complexa para as crianças (e não só), a do tempo, a sua passagem, efeitos e consequências. Repleto de alegorias, metáforas, observações e comentários curiosos e um dicionário muito próprio, o livro “O tempo canário e o Mário ao contrário” “mostra-nos” o tempo, nas suas várias facetas, proporcionando-nos uma viagem muito interessante.

Alguns excertos do livro:
“O Tempo: não é bem uma pessoa, como nós, porque tem asas e voa. No entanto, vai tendo a sua vidinha e o seu trabalho certo. No fundo, é um trabalho que não tem assim tanto que saber: basta passar pelas pessoas e envelhecê-las. A verdade é que o tempo tem pressa de fazer o seu trabalho, por isso anda sempre a correr (como nós quando fazemos os trabalhos de casa). Há quem diga que ele é dinheiro. No entanto, nunca se viu ninguém trocá-lo por uma caixa de gelados em nenhum centro comercial.”

“Não comendo sopa, as sopázias grossas e empastadas [isto das sopas, e quem ainda é miúdo, sabe-o bem, há de tudo e para todos os desgostos: há as canjas que se engolem menos mal; há as de cenoura e  abóbora que lá vão escorregando devagar pela goela; e há, por último, as verdes, também chamadas sopas do pântano e que são, naturalmente, intragáveis porque os sapos esmagados agarram-se-nos à garganta e só dissolvidos em litradas de água é que nos saltam para o estômago… a coaxar] impingidas às refeições, as crianças até podem ficar fracotas, enfezadinhas, feiosas, estafadas, sempre cansadas de língua de fora, mas crescem à mesma. Porque se há coisas mais fortes e com mais poder do que uma colher de sopa (mesmo as pantanosas), o tempo é uma delas. (…) E os miúdos acreditavam, e lá levavam à boca mais uma garfada ou colherada. Mas não tinham razão os pais, a sopa (mesmo a lamacenta de verduras movediças) não tinha nada nadinha a ver com isso. A culpa era toda do Tempo, aquele preguiçosão, mariquitas pé de salsa [Deve dizer-se mariquinhas pé de salsa ou mariquinhas pede salsa? Decidam se o mariquinhas do tempo tinha os pés de salsa, o que não deve dar jeito nenhum, ou se andava aí pelos cantos a pedir raminhos de salsa.”

Um bom livro para miúdos e graúdos.

“Inclino-me para a regra segundo a qual uma história para crianças que apenas agrade a crianças é uma má história para crianças.” C.S. Lewis

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s