Imagem

Portugueses, entre os que menos gostam da escola?

Health Behaviour in School-aged Children é um estudo realizado, de quatro em quatro anos, pela OMS,  e pretende avaliar hábitos, consumos, comportamentos, com impacto na saúde física e mental, em diferentes fases de crescimento: aos 11, aos 13 e aos 15 anos. Mais de 22o 000 alunos europeus e norte americanos, dos quais 6000 eram portugueses, participaram na edição de 2014/2015. Consultar os resultados da edição de 2014/2015

Em 1997/1998, os alunos portugueses eram dos que mais gosto demonstravam pela escola (2º posição em 28 países), situação que se alterou drasticamente com o passar dos anos, em 2014/2015, ocupamos a 33ª posição, onde apenas 11% das raparigas e 14% dos rapazes afirmam gostar das escola. Curiosamente, a pressão do trabalho escolar não parece ser o principal factor para este não gostar da escola como mostra o gráfico em baixo …

oms2

Dados preocupantes:

“Em Portugal, contudo, como já se viu, a escola não parece ser grande fonte de felicidade. E os temas “satisfação com a vida” e “bem-estar” foram mesmo dos mais surpreendentes no inquérito português quando ele foi divulgado no fim de 2014. Quase um em cada três adolescentes disse que se sentia deprimido mais do que uma vez por semana. Eram 13% em 2010. E um em cada cinco alunos do 8.º e 10.º anos magoara-se a si próprio nos 12 meses anteriores ao inquérito, sobretudo cortando-se nos braços, nas pernas, na barriga.”

“As meninas portuguesas de 13 anos são mesmo das que têm mais excesso de peso nos 42 países analisados: 24% têm peso a mais ou estão já obesas, sendo que uma prevalência igual é observada no Canadá e maior só em Malta.”

“Aos 11 anos, por exemplo, entre 11% (raparigas) e 17% (rapazes) disseram que foram alvo de bullyingna escola, “duas ou três vezes por mês nos últimos dois meses”. A média é 13%. O país tem, assim, a 16.ª taxa mais alta de alunos de 11 anos que se dizem vítimas de bullying. O cenário piora quando se avalia a percentagem de adolescentes que foram vítimas “pelo menos uma vez nos últimos dois meses” — ou seja, quando se procura aferir um bullying menos frequente, 34% dos alunos de 15 anos dizem ter sido vítimas. Bem acima da média HBSC de 23%.”
Citações do artigo do Público , que vale a pena ler na íntegra.

Importa meditar sobre estes dados, identificando as causas e procurando soluções. Muitos dirão que a Escola é a culpada, solução fácil! Certamente, que a Escola tem a sua cota parte de culpa, num modelo que varia conforme quem governa sem parecer existir um fio condutor e onde o mais importante é muitas vezes relegado para 2º plano, mas também muito mudou na educação das crianças em termos de valores, responsabilização, objetivos, socialização e ocupação de tempos livres.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s