Estado

Falta de chá

Várias pérolas, nas fichas de autoavaliação de várias disciplinas, de um aluno de secundário, que pouco ou nada faz, tem a mania que o mundo gira à sua volta e tudo e todos conspiram contra si, pois ele nunca erra e raramente tem dúvidas.

Áreas em que sentiu mais dificuldades: Em todas elas, é preciso bastante sapiência para ensinar seres humanos. Não quero aprender!

O que tenciona fazer para melhor: Apesar de sentir que não sou eu que estou mal, talvez faça um dos trabalhos pedidos. Não sei se me apetece.

Críticas ou sugestões: Nada de mais, apenas considero que em alguns casos, a reforma antecipada é necessária! Deve esforçar-se mais para criar mentes brilhantes e deixar-se de piadas.

Nenhum professor lhe agrada, ninguém sai incólume, a não ser o próprio, esse ser superior, uma bofetada de luva branca, uma má educação velada e difícil de (di)gerir, uma falta de chá tremenda! Haja muita paciência  e poder de encaixe, rimo-nos todos um bocado com as farpas que dedicou a todos e a cada um de nós! Qual das frases dedicou à minha pessoa? Conseguem adivinhar? 🙂

Estado

Calduços

“Professora, por que é que não pede autorização aos pais para os professores poderem dar calduços aos alunos?” sugestão dada pelo Delegado de Turma, 16 anos, quando lhe perguntei alternativas aos sermões, que parece que os aborrecem, e dos quais se queixam, sobre faltas de atraso, aproveitamento, falta de concentração nas aulas, etc. que recebem dos professores da turma. Giro, giro era ter três câmara a filmar, naquele instante, o miúdo e a seriedade com que ele proferiu a sua sugestão, os Encarregados de Educação, de boca aberta, completamente estupefactos e sem reação, e os professores a sorrirem onde alguém acrescentou “Às vezes, vontade não falta!”. Esta malta é um prato, ri-me com vontade, quem disse que as reuniões não podem ser divertidas?!

Imagem

O desenho e a atenção/concentração

“Ainda não passou nada do que está no quadro mas tem aí um belo desenho. Vamos ver se ouviu e percebeu o que tivemos a dar, com tanta maestria como a que demonstrou no seu desenho!” Esta é uma conversa recorrente entre nós, o M. levante-se vem ao quadro, com um sorriso nos lábios, e sem hesitações resolve o exercício, e bem, em três penadas. Isto é o habitual, não me chateio e até aprecio a sua arte e espírito mas, por vezes, é necessário mostrar aos seus colegas, o que, no seu caso, já constatei há muito, o desenho ajuda-o a estar concentrado. Assim como resolveu o exercício, seria capaz de repetir, se lhe tivesse pedido, o que tinha acabado de explicar, palavra por palavra, ou continuar a ler um texto no exato ponto onde eu o tinha terminado. Com alguns alunos resulta e ajuda-os a melhorar a concentração com outros nem tanto, é apenas uma forma de se abstraírem e desligarem do que se passa, sem perturbar os demais. Se os primeiros têm a minha compreensão e conivência, os segundo são alvos de uma marcação cerrada.

Vídeo

Shinnosuke aprende a somar!!!

Aqui por casa pequenada e excelentíssimo esposo apreciam muito os desenhos animados japoneses do Shin Chan. Enaltecem o seu espírito e sentido de humor refinado ….

Uma pérola a estratégia do Shinnosuke para aprender a somar!

 

Estado

Estupidamente …

Dizia alguém desalentado e em forma de desabafo, muito comum por estes dias na sala de professores “(…) Aquela turma deixa-me louca… Não estavam a ouvir nada e eu já meio passada disse-lhes «Estou aqui eu estupidamente…»” e eles respondem, em coro, entoando animadamente “Apaixonaaaadaaaaaa!” do Toy.

Bem sei que a paciência escasseia e há turmas, miúdos que nos tiram do sério mas dei comigo a sorrir e a acrescentar “Olha vê a coisa pelo lado positivo, sempre estavam a ouvir-te, sintomizados e sincronizados! E para rematar podias ter-lhes aventado com um “Felizmente, não é por vocês (a parte do apaixonada)!” Valeu-me um olhar pouco animado de quem ficou ainda mais irritada com o meu comentário: “Gostava de ter o teu poder de encaixe e capacidade de resposta!”, sorri novamente assumando-se-me à memória o que, recentemente, uma aluna me disse “A stôra tem um livro cheio de estigas!”… e não perco uma única oportunidade de o utilizar com esta malta, denomino-o de alegria no trabalho,  uma pausa para quebrar a “monotonia”, podia ser com KitKat … mas não era a mesma coisa!

Imagem

Filosofia de rua/de vida … num dossier

Encontrado no dossier de um dos meus alunos com mais garra e que me arranca valentes gargalhadas com muitas das suas tiradas maravilhosas! A sua última foi “Professora, tenho que lhe dizer que a sua aula é 2ª que passa mais rápido, e isto é um elogio! A 1ª é a de Educação Física, andamos sempre a correr! Bem, mas claro que isto é tudo dentro do mau que são as aulas!”. Impossível resistir a esta malta!