Zplim!! Dia e Noite rumo ao Pólo Norte! no Pinhal das Artes

Zplim – o favorito da pimpolha mais velha neste Pinhal. Quando no dia seguinte a ver o Zplim nos cruzámos com uma das atrizes, “A Noite”, no Pinhal, a pimpolha mais velha dirigiu-se a ela, sem hesitações e com muita naturalidade, e deu-lhe um grande abraço! “A Noite” abraçou-a de volta e eu acrescentei “Zplim foi o seu favorito” e a “Noite” sorriu e disse “Muito, muito obrigado. Continuação de um bom Pinhal para vós”. O Pinhal das Artes é também feito destes pequenos grandes momentos 🙂

A “Noite”

O “dia”

Zplim, da companhia O Som do Algodão, conta a história de duas irmãs, Dia e Noite, que iniciam uma viagem à volta do mundo rumo ao Pólo Norte. O objetivo da viagem é viverem finalmente unidas, mas, pelo caminho, as aventuras e desventuras sucedem-se: marinheiros intempestivos, dragões voadores, burros cantores, elefantes cor-de-rosa e Mungoongalis que comem estrelas…


“Dia e Noite a viajar,
para ao Polo Norte chegar.
Mil aventuras vão alcançar,
e no fim, e no fim…

O QUE SERÁ? O QUE SERÁ?”

Anúncios

Fala Doce no Pinhal das Artes

É sempre um prazer ouvir histórias, trava-línguas, etc pela voz de Ana Sofia Paiva, uma verdadeira contadora de história, e constatar a alegria, dedicação e o “poder” de quem gosta daquilo que faz e o faz excepcionalmente bem :). 
Fala doce no Pinhal das Artes! Num registo um pouco diferente dos Cegarrega de Pinhais anteriores, Ana Sofia Paiva e o Jon trouxeram-nos várias histórias: a do João de Barros (origem: Brasil), a do Cagadinho e da do boi Blimundo (origem: Cabo verde) – adaptadas.
Ao final do dia, a pequenada da casa trauteava a música do boi Blimundo e dizia a pimpolha mais velha “Mãe, como é o resto da música do Blimundo?”. 
No dia seguinte,o registo para os pimpolhos, da magnífica Ana Sofia Paiva e a música do Blimundo. 

Outra versão da música completa do Blimundo

 

Didgeridoos no Pinhal das Artes


Esta foi a atividade preferida do pequeno do meio :)! 
Uma das nossos próximos desafio será construir um digeridoo utilizando rolos de papel higiénico: sugestão do Rodrigo Viterbo e ele explica como se faz aqui e aqui.
Obrigado Rodrigo pela simpatia, pelas explicações, pela aprendizagem e pela música.  
 

A magia do Pinhal das Artes

Faltam-nos as palavras para descrever o que é e representa, para nós, o Pinhal das Artes mas a pequenada da casa, sucintamente, apelida-o de “Ganda fixe e fantanbulástico”. 

(Fotografias de Rui Alves)
(Fotografia de Natércia Lameiro)

(Fotografia de Nuno Simão Gonçalves)

(Fotografias de Sofia Valente)
O Pinhal do Rei, durante estes dias, transformou-se numa floresta realmente encantada onde a música, as gargalhadas, a alegria, a magia e mil e um coisa bonitas pairaram no ar, o nosso muito obrigado pela partilha, pela simpatia, pela aprendizagem, pelo espírito e muito, muitooooo mais…

Quem tornou tudo isto possível:
os artistas
(Fotografia de Joaquim Dâmaso)
Os voluntários
(Fotografia Rafaela Calças)
e toda a equipa de coordenação do Pinhal das Artes. OBRIGADO!

Quase a chegar.. que saudades do Pinhal das Artes

Se tivesse de eleger de entre todas as atividades que já realizámos com a pequenada a minha/nossa preferida, a resposta era, sem dúvidas nem hesitações, o Pinhal das Artes. O pinhal, as pessoas/artistas excelentes e disponíveis, uma panóplia de atividades para despertar (todos) os sentidos, o ambiente, o olhar de satisfação das crianças, a alegria, a música, o espírito do evento e tantas outras coisas difíceis de descrever mas tão fáceis de sentir/vivenciar … e o cheirinho a mar! Por aqui já se trauteia a canção do Olá de anos anteriores, a contar os dias para ouvir a deste ano.
 

“Olha a canção do Olá
Que eu venho aqui cantar
Ouvi-a de um passarinho
Que sonhava em voar
Abre as asas sai do ninho
Deixa o vento embalar-te
Na aventura desta viagem
Que tu e eu vamos partilhar
Cantam meninas
Olá
(…)”
Canção do Olá – Pinhal das Artes 2012

“Juntos chegámos aqui
Para partilhar contigo , amigo
Na floresta eu quero ir passear
E no mar ver os peixinhos saltar
E à noite quando tudo dormir
as estrelas no céu eu quero apanhar”
Canção do Olá – Pinhal das Artes 2011